Cães

Dermatite alérgica a picada de ectoparasitos (DAPE)

Cães,Gatos

DAPE é uma dermatite pruriginosa muito comum em cães e menos comum em gatos. É causada pela hipersensibilidade aos antígenos contidos na saliva das pulgas ou no aparelho bucal do carrapato. É responsável por desencadear uma intensa coceira nos animais. Os sinais clínicos mais observados incluem áreas de alopecia pelo corpo, eritema, vesículas com pus, crostas e um intenso prurido. (mais…)

Afecções de próstata em cães

Cães

As alterações da próstata são comuns nos cães de meia-idade a idosos, porém raras em gatos.

A próstata é a única glândula sexual acessória do cão. Sua função é produzir o fluido prostático o qual corresponde à terceira fração do ejaculado e possui a função de fornecer suporte para os espermatozoides durante a ejaculação. (mais…)

Os tumores de mama

Cães

Os tumores de mama em cadelas constituem aproximadamente 52% de todas as neoplasias que afetam fêmeas nesta espécie. Cerca de 50% dos tumores mamários são malignos, ou seja, apresentam grande potencial para gerar metástases. (mais…)

Erlichiose – Doença do carrapato

Cães

A Erlichiose Canina é uma hemoparasitose causada pela bactéria Erlichia sp. Essa bactéria parasita, geralmente, os glóbulos brancos e as plaquetas que são células do sangue. Os glóbulos brancos são as células de defesa e as plaquetas são responsáveis pela coagulação sanguínea. Uma vez parasitada, o organismo não reconhece mais esta célula como normal, causando sua destruição. Essa destruição pode ser bastante acentuada e rápida, gerando sintomas agudos. Ou pode ser mais lenta e levar a uma doença de caráter crônico. Estas são de recuperação mais difícil. (mais…)

ERLIQUIOSE – Doença do Carrapato em Cães

Cães

A Erliquiose é uma enfermidade grave que acomete cães e é transmitida pela picada do carrapato vermelho (Rhipicephalus sanguineus), que através da saliva libera um micro-organismo chamado Riquétsia, estes micro-organismos afetam as células sanguíneas brancas chamadas de monócitos e neutrófilos levando ao consumo, sequestro e destruição das plaquetas.

A doença tem destaque maior na primavera e verão onde as condições climáticas favorecem a proliferação do carrapato, embora possa ocorrer durante o ano todo. O período de incubação da doença varia de 7 a 21 dias. A doença se caracteriza na fase aguda por febre recorrente, perda de apetite, perda de peso, apatia e aumento dos linfonodos. Já na fase crônica os sinais clínicos podem ser mucosas pálidas devido à anemia intensa, sangramento no nariz, diarreia escura, vômito e aumento de órgãos como baço e fígado dentre outros sinais. (mais…)